Trabalho Escravo: Uma preocupação real para as empresas!

 

Introdução

Muitas empresas têm sido alvo de fortes fiscalizações em busca de trabalho considerado escravo. Há poucos anos atrás essas condições de trabalho eram consideradas normais, hoje, com a reação dos consumidores e o aperto da fiscalização, tem havido uma necessidade urgente dessas empresas mudarem a sua atitude quanto à contratação de pessoas.

 

Trabalho escravo no mundo

O trabalho escravo existe em todo o mundo, sendo que a grande parte está presente na Ásia, Pacífico e África. Apesar de sabermos desse problema, a verdade é que o número de trabalhadores em situações análogas à escravidão tem aumentado. Em 2013 estimava-se que existiam 29,8 milhões de pessoas nessa condição. Em 2016 esse número subiu para os 40,3 milhões, o que representa um aumento de 35%.

 

“Aqui incluímos também um novo tipo de escravo, os escravos modernos. Estes não podem se recusar a trabalhar ou a sair do emprego por meio de coerção, ameaça, violência, ou abuso de poder”

 

Mais de metade dos escravos modernos é submetida a trabalho forçado, sendo que a grande parte das vítimas trabalha no setor privado (64%). Apenas 19% se desencadeia na indústria sexual, e 17% por trabalho imposto pelo governo (maioritariamente na Coreia do Norte e Usbequistão).

 

Brasil e o Trabalho escravo

 

O Brasil é um dos países emergentes com mais histórico de problemas com o trabalho escravo. Apresenta os mesmos resultados de países como a Índia, China, Vietnã e Bangladesh.

De acordo com os dados fornecidos pelo Ministério do Trabalho, desde 2006 que as fiscalizações têm apertado. Desde então, pelo menos 26 confecções foram fiscalizadas de forma conjunta com o Ministério do Trabalho, Polícia Federal, Ministério Público do Trabalho e Polícia Rodoviária Federal. De entre essas, estavam fornecedoras de redes bem conhecidas.

Algumas delas reconheceram as condições em que estavam trabalhando e resolveram mudar em conformidade com a legislação. Outras ainda se tentam defender das acusações, alegando que a fiscalização distorceu e exagerou os fatos.

 

“Entre 2000 e 2015, foram autuadas empresas por trabalho forçado em 96 milhões de reais, 1764 estabelecimentos foram inspecionados entre 1995 e 2015 Estima-se que 16110 trabalhadores se encontrem em situação análoga à escravidão Foram resgatadas 49816 pessoas de trabalho forçado nos últimos 20 anos”

 

Gestão de riscos para erradicação do Trabalho Escravo

 

Uma grande parte das empresas brasileiras já tomaram consciência do grande impacto que poderia ter para o negócio se elas se vissem envolvidas em um escândalo relacionado com o Trabalho Escravo.

No entanto, existem ainda muitas lacunas quando é necessário tomar medidas práticas para a erradicação do trabalho escravo.

Apesar das empresas declararem uma consciência quanto à existência de trabalho escravo nos seus clientes e fornecedores, e dos riscos que esse fato traz para os seus negócios, ainda há falta de engajamento ativo. Quase um quarto das empresas brasileiras não promove nenhuma atitude prática para promover as práticas trabalhistas legais com seus parceiros comerciais.

A maior parte das empresas brasileiras apenas se vale de cláusulas contratuais, sem recorrerem a ações complementares de monitoramento, verificação ou conscientização.

Frente a essa constatação, a Ecovis Pemom, através de suas áreas de Riscos e Compliance, desenvolveu um programa de trabalho com o objetivo de auxiliar as empresas neste importante tema, unindo a revisão legal, através da análise documental, a revisão física, realizada através de visitas in-loco aos fornecedores, para verificação e monitoramento tempestivo de sua operação.

 

Gestão de riscos e Compliance

 

Com esse serviço customizado, a Ecovis Pemom estabelece uma administração ágil e segura, de acordo com a realidade da empresa.

Em nossos serviços estão inclusos:

• Avaliação do ambiente de controles;

• Identificação de pontos de riscos;

• Realização de testes;

• Visitas in-loco/ monitoramento constante;

• Apontamento / identificação de irregularidades.

• Análise / investigação de rotinas e práticas trabalhistas e previdenciárias

Entre em contato com a Ecovis Pemom hoje mesmo e garanta longevidade e a perenidade do seu negócio!

 

Fontes:

Revista Exame

Wikipedia

Publicações relacionadas